A pirâmide foi criada pela primeira vez em 1992, pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos e recentemente foi reformulada pela Harvard School of Public Health. As principais premissas do modelo antigo eram: todas as gorduras devem ser consumidas moderadamente; todos os carboidratos são benéficos. Por isso, os pães, massas, arroz e batatas ficavam na base e os óleos vegetais na extremidade. Com a reformulação, este modelo se inverteu. Os pães passaram ao topo da pirâmide e as gorduras desceram.

Os motivos da inversão

De acordo com os estudiosos, os óleos vegetais e as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas) são ricos em “gorduras boas” (mono e poliinsaturadas), que exercem efeito protetor contra certas doenças, principalmente as cardiovasculares. Devem, por isso, ser consumidos no lugar das gorduras saturadas (presentes em maior quantidade em alimentos de origem animal e relacionadas ao aumento do nível do colesterol “ruim” – o LDL – no sangue) e das chamadas gorduras “trans” ou hidrogenadas (cujas fontes principais são alimentos industrializados, como margarina, salgadinhos de pacote e bolachas recheadas).

Além disso, os carboidratos simples, encontrados em alimentos refinados, são rapidamente digeridos e absorvidos pelo organismo, provocando o aumento dos níveis de açúcar e de insulina no sangue. Eles favorecem a elevação do nível de triglicérides (principal forma como a gordura é estocada no organismo) e a queda da taxa do colesterol “bom” – o HDL -, além de ter como resultado o reaparecimento da fome em menos tempo.

As mudanças

A longo prazo, o modelo antigo favoreceria o desenvolvimento de diabetes e de doenças cardíacas, além de promover ganho de peso em indivíduos com essa tendência. O ideal, segundo recomenda a pirâmide criada pelos médicos de Harvard, é manter os alimentos integrais ou feitos a partir de grãos integrais (arroz, pães, massas) na base larga da pirâmide, ou seja, consumí-los com maior freqüência, já que eles são digeridos mais lentamente, mantendo o organismo saciado por mais tempo. Os refinados devem ser banidos para o topo (consumidos esporadicamente), juntamente com os doces.

Lembre-se: ao consultar a pirâmide alimentar deve-se ficar atento, pois não há um alimento único que forneça todos os nutrientes necessários. E, ainda, a moderação nas quantidades escolhidas é fundamental.

Alimente-se bem e aproveite a vida com mais Estilo e saúde!

Ana Carolina Costa Nutricionista Estilo Vitae. CRN :10101258